1. #1
    Membro Ativo
    Data de Ingresso
    Apr 2007
    Posts
    36
    Thumbs Up/Down
    Received: 0/0
    Given: 0/0

    É lícito a devolução dos Dízmos?


  2. #2

    Data de Ingresso
    Feb 2008
    Localização
    Mogi Guaçu/SP
    Posts
    32
    Thumbs Up/Down
    Received: 2/0
    Given: 0/0

    Re: É lícito a devolução dos Dízmos?

    Malaquias 3:6) - Porque eu, o SENHOR, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó, não sois consumidos. (Malaquias 3:7) - Desde os dias de vossos pais vos desviastes dos meus estatutos, e não os guardastes; tornai-vos para mim, e eu me tornarei para vós, diz o SENHOR dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de tornar?
    (Malaquias 3:8) - Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. (Malaquias 3:9) - Com maldição sois amaldiçoados, porque a mim me roubais, sim, toda esta nação. (Malaquias 3:10) - Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes. (Malaquias 3:11) - E por causa de vós repreenderei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; e a vossa vide no campo não será estéril, diz o SENHOR dos Exércitos. (Malaquias 3:12) - E todas as nações vos chamarão bem-aventurados; porque vós sereis uma terra deleitosa, diz o SENHOR dos Exércitos.

    Se é lícito?
    É OBEDIÊNCIA ao Senhor! Como no texto referido acima. Não é uma opção como muitos acreditam...Não é dar quanto queremos, como muitas denominações e até mesmo evangélicas ensinam, até porque a palavra dízimo significa 10%. Tenho aprendido que cada vez que devolvo ao Senhor a Sua parte, estou fazendo um depósito no céu, para quando eu necessitar. Aí se cumpre o que diz em Filipenses 4.19 - Deus suprirá todas as minhas necessidades em glória.... mas isso será pela minha obediência. Os 90% que ficam em minhas mãos, são abençoados por causa da minha obediência à palavra de Deus... Porém quando retenho a parte de Deus, tudo se torna amaldiçoado... porque estou roubando ao Senhor.... Não adianta orar e consagrar o que compramos, porque foi comprado com dinheiro "sujo" amaldiçoado... simplesmente porque não obedeci a Deus e a sua Palavra.

    Ainda existem aqueles que não dizimam porque Dízimo faz parte da Lei, e nós vivemos no tempo da graça! Correto. Vivemos no tempo da graça - favor imerecido - porém, o dízimo vem antes da lei...

    Em Genesis 14, portanto, antes daquilo que consideramos "Lei"... Vemos Abraão entregando a Melquisedeque - um tipo de Cristo no AT - os dízimos. E vemos a astucia do rei de Sodoma - um tipo de satanás - querendo fazer uma troca com Abraão. Abraão, um servo de Deus, temente e obediente, claro, não aceitou.

    Portanto, é lícito devolver o dízimo?
    Sim! Não é uma obrigação, mas um ato de fé e obediência àquele que é dono de todo ouro e toda prata, nosso Pastor por excelência, nosso provedor!

    Um abraço a todos!

  3. #3
    Membro Novato
    Data de Ingresso
    Feb 2008
    Localização
    Rio Branco - AC
    Posts
    24
    Thumbs Up/Down
    Received: 0/0
    Given: 0/0

    Re: É lícito a devolução dos Dízmos?

    A partir de Cristo, o Senhor não nos pede mais 10%. Ele pede 100% de tudo que temos, inclusive de nossas vidas. Continuamos entregando, devolvendo, depositando (ou como deseja expressar) os dízimos porque sabemos de nossa responsabilidade diante da obra de Deus, que deve ser levada adiante por cada um de nós.

    Porém se eu entregar o dízimo fielmente mas meu carro não servir para a obra de Deus, nada disso é válido, pois meu carro também deve pertencer a Deus e eu estarei apenas enganando a mim mesmo com essa atitude. Notem que o carro é somente um exemplo, pois isso vale para tudo o que temos e sabemos.

    Quem nunca viu um fiel dizimista fazer careta quando a igreja pede seu carro para alguma obra, seja uma simples carona para um irmão que mora mais distante, por conta de um culto que terminou um pouco mais tarde do que o previsto? Será que este dízimo está dentro do princípio da Nova Aliança?

  4. #4
    Membro Novato
    Data de Ingresso
    May 2008
    Posts
    1
    Thumbs Up/Down
    Received: 0/0
    Given: 0/0

    Re: É lícito a devolução dos Dízmos?

    paz
    acredito sim que o dizimo faz tanto parte da vida do cristão que além de ser abençoado na vida material ele cresce também na vida espiritual , mais para ser um dizimista fiel tem que ter uma vida de espiritualidade , sem fidelidade cristão nenhum consegue ter uma vida de paz de alegria o dizimo e complemento de uma vida espiritual , se todos os dizimista tirasse 10% da tua vida para dedicar a DEUS seria uma tocha de benção.

  5. #5
    Membro Novato
    Data de Ingresso
    Jul 2008
    Posts
    1
    Thumbs Up/Down
    Received: 0/0
    Given: 0/0

    Re: É lícito a devolução dos Dízmos?

    Se eu tenho que devolver o dízimo porque o dízimo vem antes da lei e como foi dado por Abrão, Isaque e Jacó disse que ia dar...
    então da mesma forma que o dízimo vem antes da lei, o sábado também vem antes da lei, certo?
    então eu tenho que guardar o sábado porque o sábado vem antes da lei?

  6. #6
    Membro Ativo
    Data de Ingresso
    Oct 2008
    Posts
    67
    Thumbs Up/Down
    Received: 0/0
    Given: 0/0

    Re: É lícito a devolução dos Dízmos?

    O irmão leandrofs está corretíssimo, e não é só isso, a circuncisão também é anterior a lei. Esse argumento se mostra ainda mais frágil e totalmente fora de contexto se entender o que era o dízimo no velho testamento, bem vamos lá:

    O quando Abraão pagou o dízimo a Melquisedeque, ele ainda não havia se institucionalizado, ou seja, oficializado pela lei.
    No tempo de Malaquias (Mal. Cap 3, passagem que a maioria usa para convencer e aterrorizar os cristãos para a prática ilícita do dízimo), o dízimo era usado principalmente para sustentar a tribo de Levi, que não possuía nenhuma herança, já que ficou encarregada do serviço sacerdotal, então, ele tinha cunho de imposto, sendo obrigatório essa contribuição.

    Já no novo testamento, em nenhuma passagem vemos tal obrigação, já que estamos desobrigados do cumprimento de costumes da lei, tal como dízimo, guarda de sábado, circuncisão, abstinência de certos alimentos, e por aí vai.
    Nesse período da graça, o que nos trás a doutrina vigente, são principalmente as cartas pastorais e universais. É aí que encontramos a forma correta de contribuição:

    II Cor. 9:7 - 7 Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, nem por constrangimento; porque Deus ama ao que dá com alegria.

    Muitos alegam que Jesus ao se referir aos fariseus (Mateus 23:23 23 Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei, a saber, a justiça, a misericórdia e a fé; estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas), afirmam que aí Ele está confirmando a prática do dízimo no NT. Mas esquecem que a igreja e o período da graça ainda não havia começado, pois Jesus ainda vivia sobre a Lei, Ele cumpriu todos as suas leis e seus preceitos, aliás foi o único que cumpriu.

  7. #7
    Membro Novato
    Data de Ingresso
    Oct 2008
    Posts
    25
    Thumbs Up/Down
    Received: 0/0
    Given: 0/0

    Re: É lícito a devolução dos Dízmos?

    Graça e paz.

    Bom essa questão do dizimo sempre foi controversa, pois tem argumentos para ambos os lados.

    Sabemos biblicamente que dizimo é parte do chamado Velho Testamento, não existe no chamado Novo Testamento passagens suficientes para fundamentar tal pratica.
    Não existe no chamado Novo Testamento a palavra Dizimo!!!
    Observemos os versiculos abaixo:
    Nunca devemos esquecer que Jesus nasceu judeu, cresceu como judeu, viveu como judeu e morreu um judeu, portanto o contexto de suas palavras deve ser sempre a cultura e a lei judaica.
    Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas. (Mateus 23 : 23)

    Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria. (II Coríntios 9 : 7)
    Paulo em nenhum momento faz alusão a qualquer porcentagem tipo: 1%, 10%, 50%, 100%, em nenhum de seus escritos.
    Se alguém tem alegria em dar, não se deve constragem e nem impor porcentagem.
    Hoje infelizmente até maquina de passar cartão já existe em algumas igrejas.

    Outro detalhe: Aqueles que creem em duas dispensações não podem ser defensores do dizimo!!!

    Um abraço.

  8. #8
    Membro Novato
    Data de Ingresso
    Apr 2009
    Posts
    2
    Thumbs Up/Down
    Received: 0/0
    Given: 0/0

    Re: É lícito a devolução dos Dízmos?

    O DÍZIMO 27/07/2008

    Este assunto, o dizimo, conforme é colocado atualmente pelas igrejas evangélicas, é, ao ver um pecado de tirania dos líderes eclesiásticos, pois, o fazem com ameaças mentirosas, tais como:
    Se você não entregar o dizimo, Deus vai mandar o devorador para as suas finanças e você vai perder o que tem;
    Quem não entrega o dizimo acaba por ser obrigado a gasta-lo com remédios, médicos, hospitais, etc...

    Isto, aliás, é parecido com as ameaças que fazem noutras áreas de auto-proteção covarde, como:
    Sou o ungido do Senhor e, ai daquele que levantar as mãos contra o ungido do Senhor. Daí, ouvimos testemunhos de pessoas que se deram mal na vida porque discutiram ou discordaram de um pastor evangélico.

    Ora! As pessoas ameaçadas precisam voltarem-se para Deus! Deus é O nosso Conselheiro! É Ele que tem a Palavra que liberta... que liberta do medo, das ameaças, das superstições e de todos os tipos mais de cadeias existentes.

    O que Deus nos diz sobre estes assuntos?
    O Dízimo:
    A primeira referência a ele está no encontro de Abraão com Melquizedeque.
    Abraão acabara de guerrear e voltava vitorioso da batalha em que lutou com 300 homens contra 4 reis, e ao encontrar-se com Melquizedeque, demonstrou: expontaneidade e gratidão dando ao sacerdote Melquizedeque o dízimo de tudo o que tinha.
    Por que deu o dízimo? Provavelmente, porque este já era um costume naquele tempo. Exemplo: um rei dominado por outro rei pagava tributo de 10% do que o seu pais produzia. O povo pagava ao rei 10% do que a sua terra produzia. Daí, provavelmente, veio o valor na mente de Abraão, o valor costumeiro para se honrar um nobre, neste caso, Melquizedeque. Mas observe que Melquizedeque não pediu isto a Abraão, Abraão deu expontaneamente e por gratidão.

    O próximo momento em que a bíblia menciona o dízimo é quando Jacó fugia de Esaú, imediatamente após roubar-lhe o direito da primogenitura. Enquanto viajava sozinho, indo em direção à casa de Labão, irmão de Abraão, à noite dormiu ao relento fazendo de uma pedra o seu travesseiro, e enquanto dormia, sonhou e no sonho, viu uma escada que ai do céu até à terra e por ela descia e subiam anjos. Ao acordar, estava assustado e disse: verdadeiramente esta é a casa de Deus e deu àquele lugar o nome de Betel e naquele mesmo lugar fez um voto a Deus expontanea e voluntáriamente, dizendo: Se Deus me guardar em segurança nesta minha jornada, de tudo o que eu ganhar eu lhe darei o dízimo.
    Ora! Deus não pediu o dizimo a Jacó, ele propôs dar expontanea e voluntáriamente.

    A próxima referencia ao dizimo é Deus legalizando-o para todos os judeus. Resumidamente a história ocorre assim:
    Deus deu aos hebreus a terra de Canaã e perguntou-lhes: quanto vocês pagaram por esta terra? A resposta era: Não pagamos nada! Nós a ganhamos!
    Deus disse, mas esta terra tem plantações que outros povos plantaram, ela é uma terra muito produtiva, o que vocês hebreus, fizeram para que esta terra fosse assim e o que vocês plantaram nela para agora colherem? A única resposta possível era: Não fizemos nada, nós apenas a ganhamos com tudo de bom que havia nela.
    Então Deus disse: Eu dou a vocês uma terra boa que vocês não compraram, dou a vocês ótima colheita daquilo que vocês não plantaram, porque Eu Sou o Dono de tudo, tudo o que existe pertence a Mim. E Eu os organizo nesta terra da seguinte forma:
    11 das 12 tribos receberão propriedades por herança perpétua, porém, a tribo de Levi não receberá herança entre vocês. Dou a eles um encargo. Eles serão ministradores das coisas sagradas. Eles serão uma tribo sacerdotal e terão como herança o dízimo de toda a produção das outras 11 tribos. O dízimo, portanto, das 11 tribos à tribo de Levi passa a ser uma ordem de Deus e não dá-lo é roubar. Roubar, num primeiro momento dos levitas e numa visão maior, como o Espírito Santo declara através do profeta Malaquias, é roubar a Deus, pois o que Deus cobrou das 11 tribos pela terra que Ele lhes deu gratuitamente, foi o dízimo para sustento da tribo de Levi, ou em outras palavras: a herança que deu aos levitas.

    Quanto à Igreja, o que tem o dízimo a ver com ela? NADA!
    As contribuições dos crentes devem ser como foram as de Abraão e de Jacó: expontaneas e por gratidão! É assim que o Espírito Santo ensina por intermédio de Paulo: “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não por tristeza e nem por necessidade, porque Deus ama a quem dá com alegria”.

    O ministério de Paulo foi cercado de perseguições por parte de crentes judeus que não se conformavam em que os gentios pudessem ser salvos sem se submeterem à Lei judaica dada por Moisés, e muitos deles iam às igrejas fundadas por Paulo, na ausência deste e pregavam aos novos crentes gentios dizendo-lhes: Se vocês não se submeterem à Lei de Moisés e não a praticarem, de maneira nenhuma vocês serão salvos. Isso fez com que Paulo subisse à Jerusalém e solicitasse um concilio com os demais apóstolos para tratar deste problema. Leia a narração e o desfecho deste acontecimento:
    Atos 15:1 Alguns homens foram da região da Judéia para a cidade de Antioquia e começaram a ensinar aos irmãos que eles não poderiam ser salvos se não fossem circuncidados, como manda a Lei de Moisés. 2 Paulo e Barnabé não concordaram e tiveram uma discussão muito forte com eles a respeito disso. Aí foi resolvido que Paulo e Barnabé e mais alguns irmãos fossem para Jerusalém, a fim de estudar esse assunto com os apóstolos e os presbíteros da igreja... 4 Quando chegaram a Jerusalém, foram recebidos pela igreja, pelos apóstolos e pelos presbíteros e lhes contaram tudo o que Deus havia feito por meio deles. 5Mas alguns membros do partido dos fariseus que também haviam crido se levantaram e disseram: – Os não-judeus têm de ser circuncidados e têm de obedecer à Lei de Moisés. 6 Então os apóstolos e os presbíteros se reuniram para estudar o assunto. 7Depois de muita discussão, Pedro se levantou e disse: – Meus irmãos, vocês sabem que há muito tempo Deus me escolheu entre vocês para anunciar o evangelho aos não-judeus a fim de que eles pudessem ouvir e crer. 8 E Deus, que conhece o coração de todos, mostrou que aceita os não-judeus, pois deu o Espírito Santo também a eles, assim como tinha dado a nós. 9Deus não fez nenhuma diferença entre nós e eles; ele perdoou os pecados deles porque eles creram. 10 Então por que é que vocês estão querendo pôr Deus à prova, colocando uma carga nas costas dos que agora estão crendo? E essa carga nem nós nem os nossos antepassados pudemos carregar. 11Pelo contrário, por meio da graça do Senhor Jesus, nós, judeus, cremos e somos salvos do mesmo modo que os não-judeus 12Então todos os que estavam ali ficaram calados e escutaram Barnabé e Paulo contarem todos os milagres e maravilhas que Deus tinha feito por meio deles entre os não-judeus. 13Quando eles terminaram de falar, Tiago disse: – Meus irmãos, escutem! 14Simão acabou de explicar como Deus primeiro mostrou o seu cuidado pelos não-judeus, escolhendo do meio deles um povo que seria dele. 15As palavras dos profetas estão bem de acordo com isso, pois as Escrituras Sagradas dizem: 16“Depois disso eu voltarei – diz o Senhor – e construirei de novo o reino de Davi, que é como uma casa que caiu. Juntarei de novo os pedaços dela e tornarei a levantá-la. 17Assim todas as outras pessoas, todos os outros povos que eu chamei para serem meus, vão procurar conhecer o Senhor. Assim diz o Senhor, 18que anunciou essas coisas desde os tempos antigos.” 19 E Tiago continuou: – A minha opinião é esta: eu acho que não devemos atrapalhar os não-judeus que estão se convertendo a Deus. 20Penso que devemos escrever a eles uma carta, dizendo que não comam a carne de animais que foram oferecidos em sacrifício aos ídolos, que não pratiquem imoralidade sexual, que não comam a carne de nenhum animal que tenha sido estrangulado e que não comam sangue... 22 Então os apóstolos e os presbíteros, com o apoio de toda a igreja, resolveram escolher entre eles alguns homens e mandá-los para Antioquia com Paulo e Barnabé. Os escolhidos foram Judas, chamado Barsabás, e Silas. Esses dois homens eram muito respeitados pelos membros da igreja. 23E mandaram por eles a seguinte carta: “Nós, os apóstolos e os presbíteros, irmãos de vocês, mandamos saudações aos nossos irmãos não-judeus que vivem em Antioquia e na província da Síria e na região da Cilícia. 24“Soubemos que alguns do nosso grupo foram até aí e disseram coisas que criaram problemas para vocês. Porém não foi com a nossa autorização que eles fizeram isso. 25Portanto, nós todos resolvemos, sem nenhum voto contra, escolher alguns homens e mandá-los a vocês. Eles vão com os nossos queridos irmãos Barnabé e Paulo, 26que têm arriscado a sua vida a serviço do nosso Senhor Jesus Cristo. 27Estamos enviando, então, Judas e Silas para falarem pessoalmente com vocês sobre estas coisas que estamos escrevendo. 28Porque o Espírito Santo e nós mesmos resolvemos não pôr nenhuma carga sobre vocês, a não ser estas proibições que são, de fato, necessárias: 29não comam a carne de nenhum animal que tenha sido oferecido em sacrifício aos ídolos; não comam o sangue nem a carne de nenhum animal que tenha sido estrangulado; e não pratiquem imoralidade sexual. Vocês agirão muito bem se não fizerem essas coisas. Saúde a todos!” 30Então mandaram que os quatro partissem, e eles foram para Antioquia. Lá reuniram os cristãos e entregaram a carta. 31Quando estes a leram, ficaram muito alegres com as palavras de ânimo que havia nela.
    Ora! Como acabamos de ler, a conclusão a que os apóstolos e o Espírito Santo chegaram neste concílio foi:
    At.15:28 Porque o Espírito Santo e nós mesmos resolvemos não pôr nenhuma carga sobre vocês, a não ser estas proibições que são, de fato, necessárias: 29não comam a carne de nenhum animal que tenha sido oferecido em sacrifício aos ídolos; não comam o sangue nem a carne de nenhum animal que tenha sido estrangulado; e não pratiquem imoralidade sexual. Vocês agirão muito bem se não fizerem essas coisas. Saúde a todos!” O que ficou para nós, Igreja, proibido como conduta religiosa foi apenas isso: 29 não comam a carne de nenhum animal que tenha sido oferecido em sacrifício aos ídolos; não comam o sangue nem a carne de nenhum animal que tenha sido estrangulado; e não pratiquem imoralidade sexual.
    Impor, portanto o dizimo como obrigação é pregar outro evangelho, é voltar aos rudimentos da Lei, é exigir o que o Espírito Santo não exigiu. A forma, portanto de contribuição dos crentes é: Segundo propruser no coração, não com tristeza e nem por necessidade, porque, Deus ama é quem dá com alegria e não por obrigação, imposição, constrangimento ou ameaças.
    Invés dos clérigos exigirem o dizimo, deveriam ensinar o amor, pois, as ofertas devem ser dadas expontaneamente e por gratidão a Deus. Esta é a única oferta que Deus aceita.
    Quanto aos pastores, não que não tenham o direito de receber salário, mas o melhor lhes seria como disse Paulo não ser pesado a nenhuma igreja, antes, trabalhar com as próprias mãos e dar o exemplo, que é trabalhando com as próprias mãos e não extorquindo ninguém é que se dá o exemplo aos demais crentes. Quanto ao que lhes é dado, ou pago, o melhor é que fosse uma oferta constante, mas, expontanea e por gratidão da igreja local a ele, pelo empenho de pastorear e cuidar bem das pessoas conduzindo-as ao pleno conhecimento e serviço a Deus.

    Desculpem o tamanho do argumento apresentado. É que este assunto, carece de explicação mais minunciosa, visto que é tão arduamente apresentado pelos que lideram as igrejas atualmente e precisa ser mudado na mente dos irmãos em todo o mundo.

    Se quiser fazer contato: carlosataides@superig.com.br

  9. #9
    Membro Novato
    Data de Ingresso
    Jun 2009
    Posts
    3
    Thumbs Up/Down
    Received: 0/0
    Given: 0/0

    Re: É lícito a devolução dos Dízmos?

    Amados irmaos, a graca e a paz de Jesus.
    Em primeiro lugar, o verdadeiro reavivamento que precisamos é termos menos tempo para as coisas do mundo e mais tempo para as coisas de Deus como Oracao, Estudo da Palavra e jejum.
    Qto ao dizimos como muitos dizem que nao estamos mais no tempo da lei, correto, mas os irmaos precisam estudar mais a Palavra de Deus, como os primeiros cap de Romanos, pq nao estamos fora da lei, mas somos justificados pela fé, pq se assim fosse, eu poderia nao querer "Amar a Deus acima de todas as coisas", poderia fazer os pecados que transgridem a lei de Deus e exigir ser salvo, pq estou no tempo da graca. Mas irmaos, a lei nao esta mais em nos no sentido do pecado e viver no pecado, pq é pela lei que vemos que pecamos, qdo fazemos algo que Deus nao agrada, e isto nao está no Antigo Testamento tb??? Mas somos justificados pela fé, ou seja, o pecado que opera em nos, temos um advogado, somente os irmaos lerem Romanos.
    Outra coisa, alguns irmaos dizem que no novo testamento, nao entregavam os dizimos, correto irmaos, mas o que vc me diz de Atos 2:42-47, qdo diz que os irmaos, vendiam as propriedades, depositavam aos pes dos apostolos, viviam na unidade, oracao e comunhao. Realmente irmaos, eles nao entregavam os 10%, entregavam muito mais, e foram chamados Servos indignos de terem vivido na terra. E nao apenas o dinheiro, mas suas vidas, seus tempos, e qdo fazemos isto hj, vender nossas propriedades, viver em uniao, comunhao e entregar aos ungidos de Deus??? Qdo vc fez isto???
    Dizimo é pra quem tem fé e acredita em Deus, na Sua Palavra, nao apenas na metade de sua Palavra. Eu entrego a Deus nao pra ser abencoado, pq ja fui abencoado com a Salvacao, e qual o preco da minha salvacao em dinheiro??? Nao tem, e ja foi pago pelo sangue de nosso Senhor. Qto aos irmaos que ainda desejem viver o evangelho de Deus pela metade, le Apocalipse 3:16 " Pq estao mornos, nem frio nem quente, oxala estivesse frio, mas como és morno vomitar-te-ei da minha boca" Amados irmaos, isto é muito serio.
    Que Jesus abencoe a cada um segundo a necessidade de cada um

  10. #10
    Membro Novato Avatar de Lealson
    Data de Ingresso
    Jul 2009
    Localização
    Socorro/SP
    Posts
    19
    Thumbs Up/Down
    Received: 0/0
    Given: 0/0

    Re: É lícito a devolução dos Dízmos?

    A PAZ DO SENHOR!

    Nosso ilustre colega "Carlos Ataides" foi muito feliz em sua explicação a respeito do dízimo.

    Apenas complementando a brilhante explanação, creio que Deus não necessita de nosso dinheiro, o que Ele quer é nossa devoção, nossa adoração, nossa fidelidade para com Ele. Contudo, 99,99% das igrejas evangélicas se utilizam da passagem de Malaquias para efetivamente "COBRAREM" os dízimos dos crentes.

    Evidente que o valor arrecadado ajuda a manter a obra, mas por outro lado ajuda a manter a corrupção de muitos.

    Nesse sentido, uma vez descoberta essa corrupção, a lei garante a devolução do dinheiro dado a título de dízimo.

    Mas... e BIBLICAMENTE!!!... é lícita essa devolução?????.

    Vejamos: tratemos de dízimo como uma espécie de doação sem vínculo, ou seja, um valor que o crente "DOA" para a entidade e não especifica a finalidade daquele dinheiro. A norma consuetudinária, ou seja, aquilo que fazemos por costume em nossas vidas nos diz que "NÃO SE PEDE DE VOLTA AQUILO QUE FOI DADO", pelo menos era o que me ensinava minha avó e meus pais.

    Trazendo isso sob o manto do cunho religioso, pergunto: "VOCÊ DÁ O DÍZIMO POR OBRIGAÇÃO OU POR DOAÇÃO?".

    Se for por obrigação, você então deverá exigir recibo de todo pagamento feito a título de dízimo pois trata-se de uma espécie de mensalidade e sendo mensalidade deveria haver algum contrato estipulando essa porcentagem que incidiria sobre os vencimentos do devedor e que beneficiaria o credor.
    Nesse sentido, se o devedor (aquele que paga o dízimo) verificar que o contrato está sendo descumprido, no máximo poderá rescindir o contrato e eventualmente pleitear os danos sofridos pelo descumprimento do contrato, talvez a devolução de algumas parcelas.

    Se for por doação, não há de se falar em devolução, até mesmo porque a expontaneidade na doação é ato jurídico perfeito, ou seja, uma vez dado não pode ser retirado.

    O problema é o seguinte: Essa obrigação ou doação é para quem? Para Deus ou para a Igreja?

    Se for para Deus e for obrigação, quero ver como você irá conseguir um recibo de Deus, e nesse caso não há como pleitear a devolução
    Se for para Deus e for doação (também conhecida como 'PROPÓSITO') não há de se falar em devolução

    Se for para a igreja e for obrigação, todo pagamento deverá ser emitido um recibo, e nesse caso há como pleitear a devolução, sendo plenamente lícita.
    Se for para a igreja e for doação, o crente poderá definir a finalidade do dinheiro e pedir após o uso uma prestação de contas, sendo possível a devolução em caso de descumprimento. Se não for definida nenhuma utilização específica, não há de se falar em devolução.

    "AGORA CABE AO DIZIMISTA DECIDIR A MODALIDADE DE CONTRIBUIÇÃO E QUEM SERÁ O BENEFICIÁRIO"

    É isso!!!

  11. #11
    Membro Novato
    Data de Ingresso
    Nov 2009
    Posts
    1
    Thumbs Up/Down
    Received: 0/0
    Given: 0/0

    Re: É lícito a devolução dos Dízmos?

    Segundo Gálatas a Antiga Aliança cessou com o início da Nova Aliança em Cristo Jesus.
    A Antiga Aliança foi um acordo de Deus com um único povo: os judeus. Nesse acordo Ele estabeleceu varias coisas - inclusive o dízimo.
    A Nova Aliança é um acordo entre Deus e todas as pessoas de todos os povos, esse acordo é selado pelo sangue de Jesus Cristo e esta disponível a todos os que creem. As pessoas que participam deste novo acordo - não tem nada a ver com as ordenanãs do acordo anterior. A vida do cristão (participante do novo Acordo) é regulada somente pelo que esta escrito no Novo Testamento. No Novo Testamento não existe menção para que o cristão pratique o dízimo.
    Isso quer dizer que não devemos ler e aprender com as Escrituras do A.T.? Claro que não. elas são úteis para nosso ensino, porém elas não são úteis para nossa salvação. Não adianta nada dar o dízimo e ignorar coisas mais complexas como lidar com o pecado. Não adianta nada falar e cantar Senhor, Senhor e ser um desconhecido de Cristo (cg. Mt 7:21). Nao adianta nada seguir homens e nem instituições religiosas que só fazem enriquecer, e, se perder do caminho que o Senhor preparou para os seus.

  12. #12
    Membro Novato
    Data de Ingresso
    Oct 2009
    Posts
    3
    Thumbs Up/Down
    Received: 0/0
    Given: 0/0

    Re: É lícito a devolução dos Dízmos?

    Pessoal,

    Muito bacana o tópico, queria só lembrar a passagem do jovem rico (Mt 19:16-22), no texto Jesus pede o tudo dele. Isso vai de encontro com At 2 quando as pessoas vendiam tudo e entregavam aos apóstolos e tinham tudo em comum.
    O que precisa ser ensinado nas nossas igrejas é a importância da nossa contribuição, não para sermos abençoados, mas por sermos abençoados, como forma de gratidão e de amor para a obra de Deus aqui na terra.

    Tenho uma dúvida sobre o texto de Ml 3: 10 e gostaria de expor ela.

    "Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento em minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma benção tal, que dela vos advenha a maior abastança" (Ml 3:10 Versão João Ferreia de Almeida)

    Normalmente esse texto é utilizado para ministração de ofertas e dízimos, e por muitas vezes já ouvi o argumento de que é o único texto onde se "pode" provar a Deus. Realmente o texto é claro quanto a isso. Porém, eu vejo uma condição para que se faça essa prova, ou seja, somente no caso de o Senhor "não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma benção tal, que dela vos advenha a maior abastança".
    Enfim, entendo que Deus fez uma promessa ao povo judeu que não deixaria faltar o sustento daqueles que fossem fiéis nos dízimos, e somente caso o sustento faltasse, ai sim o servo fiel poderia provar a Deus.

    Não sei se fui bem claro, mas é que meu ouvido coça todas as vezes que ouço alguém dizer que podemos provar a Deus baseado nesse texto, creio que isso é equívoco.

    Deus abençoe

  13. #13
    Membro Novato
    Data de Ingresso
    Jan 2009
    Posts
    7
    Thumbs Up/Down
    Received: 0/0
    Given: 0/0

    Re: É lícito a devolução dos Dízmos?

    eu acredito q n seja uma obrigaçao...mas desde q DEUS nos permitiu a ter ,entao poderemos ajudar amanter sim a casa do SENHOR.....

  14. #14
    Membro Novato
    Data de Ingresso
    May 2011
    Posts
    2
    Thumbs Up/Down
    Received: 0/0
    Given: 0/0

    Re: É lícito a devolução dos Dízmos?

    Em Mat.23.23 diz: "Ai de vós... Pois que dizimais...
    Já pensastes se fosse: "Ai de vós... Pois que não dizimais...???
    Isto é só para uma reflexão!

  15. #15
    Membro Novato
    Data de Ingresso
    Jun 2011
    Posts
    6
    Thumbs Up/Down
    Received: 0/0
    Given: 0/0

    Re: É lícito a devolução dos Dízmos?

    Com tantos comentários , e bem edificantes pois, me ajudou bastante, porém, quero dizer aos irmãos que tem "dúvidas" sobre este assunto de "dízimos"....
    Acessei um ótimo site, onde explica tudo muito bem detalhado, e confesso que nunca lí,ví ou ouví um estudo tão completo e esclarescedor sobre dizimo, como encontrei neste site.
    Deixo aqui o link para que os irmãos possam se esclarescer de uma vez por todas.
    http://malaquias3dez.blogspot.com

  16. #16
    Membro Novato
    Data de Ingresso
    Jun 2011
    Posts
    11
    Thumbs Up/Down
    Received: 0/0
    Given: 0/0

    Re: É lícito a devolução dos Dízmos?

    Prezado, irmão Alisson Nascimento.

    Esta tua pergunta, tem DUAS RESPOSTAS BÍBLICAS:
    A PRIMEIRA: Em se tratando do DÍZIMO DA LEI E OS PROFETAS (10%), para a igreja de Cristo, É sim, ILÍCITA: A cobrança, devolução, etc... Por vários quesitos bíblicos:

    O DÍZIMO DA LEI E OS PROFETAS:
    a).Fazia parte da antiga aliança. Dt. 14:22 - Ml. 3:10.
    b).Consistia em ORDENANÇA, UMA OBRIGAÇÃO P/ O ISRAELITA. Lv. 18:5.
    c).Não era e não é "OBRA DA DA FÉ Gl.3:12.
    d).Estava sujeito à maldição. Gl. 3:10.
    e).Foi DESFEITO POR CRISTO na cruz. Ef. 2:15.
    f).Não era perfeito ( Hb.7:11). Era apenas "UMA BOA maneira de dizimar". Rm. 7:12.
    g).Foi dado como "PATAMAR, BASE), para O DÍZIMO DO EVANGELHO. Rm. 15:4 - Hb. 3:5.

    A SEGUNDA RESPOSTA: Em se tratando do DÍZIMO DO EVANGELHO; faz parte do NOVO MANDAMENTO de Jesus para sua Igreja, pois:

    a). Está na NOVA ALIANÇA, registrado no Evangelho. Mt. 5:20.
    b). Consiste em GRAÇA 2 Co. 12:9.
    c). É OBRA"DA FÉ". 2 Co. 9:7 - Rm. 10:6.
    d). Está debaixo da BENÇÃO, de Abraão o Pai da fé. Gn. 22:17.
    e). Foi confirmado por Jesus. Rm. 3:22
    f). Agora é, a maneira AGRADÁVEL E PERFEITA DE SE DIZIMAR. Rm. 12:2.
    g). Foi manifesto como O DÍZIMO DO EVANGELHO. Mt. 5:20 - At. 4:32-37.

    Portanto, É LÍCITO O CRISTÃO DIZIMAR AGORA, (POR FÉ); das seguintes maneiras bíblicas:
    Tomando por patamar ou base os 10 % DA LEI E OS PROFETAS:
    A MANEIRA AGRADÁVEL DE SE DIZIMAR, PELO EVANGELHO: Acima dos 10%, 11,12,13, etc...
    A MANEIRA PERFEITA DE SE DIZIMAR, PELO EVANGELHO: (DAR TUDO).
    "Se queres SER PERFEITO, vai, vende (TUDO) o que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem e segue-me". Mt. 19:21.

    Graça e Paz

    Jaime e Júlio

  •   

Informações de Tópico

Usuários Navegando neste Tópico

Há 1 usuários navegando neste tópico. (0 registrados e 1 visitantes)

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •