Arqueólogos israelenses apresentam restos do rei Herodes

Uma equipe israelense de arqueólogos afirma ter descoberto o túmulo do rei Herodes no deserto da Judéia. Eles exibiram nesta terça-feira os restos mortais, em entrevista coletiva, em Jerusalém.

A descoberta, anunciada ontem à noite pela Universidade Hebraica de Jerusalém, aconteceu na zona arqueológica conhecida como Herodium.

O responsável pelas escavações, o catedrático da Universidade Hebraica Ehud Netzer, disse que a sepultura foi profanada e o mausoléu foi destruído, provavelmente em um gesto de ira contra Herodes durante a grande revolta judaica contra o Império Romano do primeiro século.

O lugar, entre dois palácios que o monarca fez construir no cume do monte Herodion, e a qualidade das peças achadas desfazem qualquer dúvida sobre o destinatário da sepultura, ressaltou.

"É desnecessário recorrer ao (teste de) carbono 14, pois esta prova só é usada quando não há outros indícios da idade de uma peça", explicou Netzer, pesquisador de prestígio internacional especializado no período "herodiano".

Folha de São Paulo


› Veja Mais: Arqueólogos israelenses apresentam restos do rei Herodes