1. #1
    Administrator Avatar de SandraMac
    Data de Ingresso
    Oct 2007
    Localização
    Rio de Janeiro - RJ
    Posts
    5.141
    Thumbs Up/Down
    Received: 527/43
    Given: 615/0

    Como implantar a EBD

    Excelente texto do site da CPAD:
    http://www.editoracpad.com.br/escoladominical/index.php

    Como implantar a Escola Dominical

    Se sua igreja deseja crescer, use as leis de crescimento da ED.

    A Escola Dominical é parte integrante da igreja. Não é uma organização independente, é a própria igreja ensinando a Palavra de Deus. Por isto, deve estar subordinada em tudo à igreja e ser sustentada por ela.

    Jesus, ao estabelecer a Igreja, deu-lhe a tarefa de representá-lo no mundo. Ele foi muito claro naquilo que a Igreja deve fazer. “Fazei discípulos de todas nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos”,
    Mt 28.19-20.

    O sucesso de uma igreja é evidente quando seu pastor reconhece que o melhor lugar para ensinar a parte básica da vida cristã, tanto para o crente como para o não crente, é a Escola Dominical.

    Investimento
    Se sua igreja deseja crescer, use as leis de crescimento da ED. Invista na criança. Comece com o Departamento Infantil. Essa é a idade propícia para a aprendizagem.

    “Esforça-te e tem bom ânimo, e faze a obra; não temas, nem te desalentes, pois o Senhor Deus, meu Deus, é contigo... para toda boa obra para o serviço da casa do Senhor... também os chefes e todo o povo estarão inteiramente às tuas ordens”, 1Cr 28.19-21.

    A Escola Dominical e seus objetivos
    Toda escola tem necessidade de estabelecer a organização que lhe convém, a fim de alcançar o objetivo desejado.

    Alcançar o povo - Este é o primeiro passo. Procure matricular todos os membros da igreja e seus filhos. Organize e desenvolva um trabalho de visitação, não somente aos crentes, mas a todos os vizinhos de sua igreja. Incentive o trabalho de testemunho pessoal. Explique aos novos decididos a importância do ensino da Palavra na ED.

    Ensinar ao povo a Palavra de Deus - A Bíblia é o livro-texto da ED e, por isso, deve ocupar o centro do ensino. Devem ser observados a natureza, o conteúdo e o propósito da revelação bíblica. Através da ED, a Igreja planta a Palavra de Deus na mente do aluno (Mt 13.1-9,18-23).

    Ganhar os perdidos - Onde quer que uma ED tenha sido implantada adequadamente, pessoas não salvas têm sido alcançadas. Havendo alunos não crentes na classe, torna-se necessário o professor criar, através do ensino da lição, uma oportunidade de convidar as pessoas para aceitarem a salvação em Cristo Jesus.

    A Escola Dominical foi criada e funciona com o propósito de ganhar almas. Ela é, também, uma agência de evangelismo da igreja. Por isso, seu programa é preparado para contribuir direta e continuamente para evangelizar.

    Desenvolver talentos - A igreja precisa prover a maturidade do novo e inexperiente crente e aperfeiçoar os membros através de estudos, atividades e responsabilidades na igreja ou nas organizações da mesma.

    Estrutura da Escola Dominical
    Devido ao amplo propósito da ED (evangelizar, doutrinar e treinar), torna-se necessário uma estrutura que funcione como “coluna vertebral” para que alcance sua clientela em toda sua abrangência (faixa etária, diversificação cultural e sexo). Deve ainda ser adequada aos recursos, disponibilidades físicas, humanas, econômicas etc.

    Organograma

    Diretoria

    Pastor - Sendo o líder responsável e o real dirigente, precisa conhecer a organização e administração da Escola Dominical. A ele cabe o direito de escolher ou indicar pessoas para os vários cargos da Escola e preparar professores para o ensino bíblico. Ele é o principal professor da igreja, cabendo-lhe ensinar e doutrinar os professores e oficiais da Escola.

    Seu ministério de ensinar é obrigatório e não optativo (1Tm 3.2 e Cl 1.28).
    O professor deve participar das reuniões da Escola Dominical em sua igreja. Se for possível, de acordo com as circunstâncias, também ensinar uma classe como a dos oficiais.
    Superintendente - É responsável diante da igreja pela programação, execução e avaliação do trabalho previsto no plano de ensino bíblico. Nas escolas filiais é chamado dirigente. Vejamos algumas características e tarefas do superintendente ou dirigente:

    Conhecedor da Bíblia. “Que maneja bem a Palavra da Verdade”, 2Tm 2.15. Para manejar bem a Palavra é preciso conhecê-la.
    Entusiasta. O entusiasmo, com seu raio de luz, dá nova vida aos negócios, a um grupo, a uma instituição, a uma pessoa.
    Assumir a liderança, determinando a organização, o horário e os meios para a Escola realizar suas tarefas.
    Conhecer o currículo da Escola Dominical. Traçar planos de trabalho para cada trimestre vindouro, reunindo toda a equipe a fim de discutir o que foi positivo e negativo no trimestre anterior.
    Vice-superintendente ou vice-dirigente - responsável perante o superintendente pelo cumprimento de tarefas a ele determinadas e substitui o superintendente no seu impedimento. Ele ajuda o superintendente a realizar qualquer tarefa de sua responsabilidade.

    Secretário - O secretário é responsável perante o superintendente da Escola Dominical pela execução dos trabalhos pertencentes à Secretaria da ED. A igreja pode eleger um segundo secretário a fim de ajudar o primeiro a cumprir as responsabilidades que seguem:

    Orientar os demais secretários da Escola, o programa de matrícula de novos alunos, como também a organização dos relatórios durante o ano;
    Manter em dia o fichário geral de arrolamento da Escola Dominical como de outros programas de ensino promovidos pela Escola através da Diretoria de Expansão;
    Recolher os pedidos de literatura e materiais necessários de cada Departamento, providenciando a compra junto à pessoa designada pela igreja;
    Providenciar anúncios de divulgação da Escola, visando o crescimento da mesma;
    Chegar cedo, verificar a arrumação da Escola junto a seus auxiliares e distribuir o material aos secretários de classe;
    Recolher, no horário determinado, as cadernetas de classes e os relatórios de cada departamento;
    Preparar o resumo do relatório dos departamentos, entregando-o ao superintendente ou diretor da Escola Dominical.
    Diretor de expansão - Nas grandes Escolas, é indispensável a Diretoria de Expansão, onde o diretor é responsável, diante do superintendente da Escola, pela coordenação das atividades que proporcionam o desenvolvimento de uma Escola Dominical: escolas filiais, Escolas Bíblicas de Férias, concursos bíblicos, visitação, campanhas, congressos, encontros etc. Deveres e tarefas:

    Cooperar com o superintendente;
    Cooperar com os diretores dos departamentos;
    Visitar as escolas filiais, verificando as necessidades para um desenvolvimento melhor;
    Manter um programa sistemático e vigoroso de visitação às pessoas que não podem assistir à Escola Dominical;
    Manter um fichário de alunos, em perspectiva, a fim de facilitar o programa de visitação e matrícula;
    Programar, em época de férias escolares, a EBF, com o objetivo de oferecer uma atividade de extensão do estudo bíblico, e, também, como meio para alcançar novos alunos para a ED.
    Tesouraria - Toda Escola Dominical precisa ter uma tesouraria para onde as ofertas serão encaminhadas e contabilizadas. O tesoureiro deve ser uma pessoa competente e que tenha boa recomendação de todos.

    Ele recebe da Secretaria todas as cadernetas acompanhadas com as ofertas do dia e depois de verificar as anotações devolverá as cadernetas à Secretaria e prestará conta do dinheiro à Tesouraria-geral da igreja.

    Biblioteca - Para uma Escola eficiente, é necessário o funcionamento de uma biblioteca para professores e alunos. Todos os livros devem ser escolhidos com cuidado a fim de atender às necessidades e desejos dos professores em ganhar almas e desenvolver vidas para a glória de Deus.

    Diretoria musical - A Escola Dominical é também um culto a Deus. Não se pode cultuar sem que exista louvor. A música é o veículo que nos leva a Deus e que também é usada para anunciar o Evangelho. É por meio de cânticos que os cristãos dão grandes testemunhos de sua fé, e anunciam o que Cristo fez por eles e por todo pecador.

    A igreja deve ter muito cuidado na escolha de pessoas que possam desempenhar bem esta função. Se há carência de pessoas capazes para dirigir os grupos infantis, é dever da igreja procurar pessoas com capacidade e treiná-las para este trabalho. O diretor musical deve ajudar a todos os líderes de departamentos nos seus programas musicais e ajudar todas as pessoas a participarem nos cânticos congregacionais.

    Recepção - Pode ser feita pelos porteiros e introdutores da igreja, orientando os visitantes sobre o departamento correspondente à idade e onde fica.

    O recepcionista deve providenciar acomodações, dando informações gerais da Escola aos alunos e visitantes. Ele deve ser gentil com todos pois toda pessoa gosta de ser bem tratada e bem recebida. “O que quereis que os outros vos façam, fazei também vós a eles”, Mt 7.12.

    Atribuições de uma diretoria departamental
    Qualquer departamento deve ter sempre duas diretorias: uma titular e outra auxiliar. Na ausência de uma, a outra a substituirá. Para isso, as duas devem conhecer bem o funcionamento do departamento em geral. Poderão dividir entre si as atribuições e responsabilidades que são:

    Deve ser a primeira a chegar e a última a sair;
    Ser responsável pela conservação de todo o material didático do departamento.
    Fazer o planejamento das atividades do ano;
    Estimular e incentivar os professores e ajudantes em tudo;
    Programar atividades extra Escola Dominical, como passeios, leituras, programas especiais, cultos, dramatizações, visitas, reuniões com os pais, palestras etc;
    Providenciar todo o material necessário para os professores e alunos, como revistas da Escola Dominical, gravuras ilustradas, material auxiliar, quadro-de-giz, flanelógrafo, quadro-de-pregas, mapas etc;
    Orientar os professores da Escola Dominical ajudando-os a preparar lições e demais atividades, visitando-os, compartilhando seus problemas se for solicitado, orando por eles, dando sugestões que possam ser realizadas;
    Manter a disciplina usando de energia dosada com muito amor;
    Ser responsável pela programação de abertura e encerramento: cânticos, histórias, campanhas, oração, leitura bíblica, avisos, cumprimentos a visitantes e aniversariantes etc, sempre obedecendo ao horário estipulado pela Superintendência;
    Organizar uma reunião mensal com os professores, abordando o planejamento do mês, o aproveitamento dos alunos, o melhoramento do ensino, problemas com os professores e alunos.

    Atribuições dos professores
    Tanto os professores titulares como os ajudantes são escolhidos pelos diretores com muita oração e direção divina, antes do início de cada ano. Os professores titulares são responsáveis pelo ensino da lição em classe, pela confecção dos trabalhos manuais da lição e da disciplina da classe. Os professores-ajudantes são responsáveis pelo estudo da lição de cada domingo e para substituir o professor titular no seu impedimento. Ajudam também a manter a disciplina da classe, fazem a chamada, ouvem os versículos decorados dos alunos e anotam nomes de visitantes ou novos alunos no cartão de matrícula. São responsáveis pela distribuição da revista em suas classes. Devem acatar com amor as ordens das diretorias departamentais.

    Atribuições dos secretários de departamento
    Os secretários são escolhidos pelos diretores departamentais.
    São responsáveis pelo relatório geral do departamento, pela estatística mensal e anual, pela distribuição e retirada dos cadernos de chamada das classes de seu departamento.

    Jonas Batinga dos Santos Filho é evangelista e coordenador da Secretaria de Escola Dominical da AD em Curitiba.



    › Veja Mais: Como implantar a EBD
    "Quero trazer à memória o que me pode dar esperança". Lamentações 3:21

  2. #2
    Administrator Avatar de SandraMac
    Data de Ingresso
    Oct 2007
    Localização
    Rio de Janeiro - RJ
    Posts
    5.141
    Thumbs Up/Down
    Received: 527/43
    Given: 615/0

    EBD - Nossas Responsabilidades

    A ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - BÊNÇÃO DE DEUS, RESPONSABILIDADE NOSSA

    Rev. Josivaldo de França Pereira

    O objetivo deste artigo é chamar a atenção para o valor e importância que devemos dar à escola dominical.

    Fundada na Inglaterra pelo missionário Robert Raikes, em 1780, a escola dominical foi uma criação que deu certo. Tão certo que os primeiros missionários que aqui chegaram procuraram organizá-la imediatamente. O casal Robert e Sarah P. Kalley fundou a primeira escola dominical no Brasil em 19 de agosto de 1855. E a escola dominical existe até hoje!

    Não é por acaso que a escola dominical existe até hoje. Ela é parte integrante da Igreja do Senhor Jesus Cristo, de quem temos a promessa de que “as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16.18). A escola dominical é uma bênção de Deus com características próprias, isto é, por mais que uma pessoa participe dos cultos e das atividades da semana de sua igreja, tem coisa que só será aprendida na escola dominical.

    Infelizmente não são poucas as pessoas que fazem opções em detrimento da escola dominical. Será que essas pessoas sabem o quanto estão perdendo? Pense bem: Ausentando-se da escola dominical quem perde as bênçãos de Deus é você.

    A ESCOLA DOMINICAL - E A RESPONSABILIDADE DO ALUNO

    O segredo de uma escola dominical dinâmica e eficaz depende, e muito, do aluno. E como deve ser o aluno da escola dominical? Qual o perfil do aluno ideal? Antes de respondermos essas perguntas, é importante dizer que por aluno ideal não nos referimos, propriamente, a um ser extraordinário: brilhante, gênio, super intelectual. Não, o aluno ideal é antes de tudo uma pessoa bem intencionada. Como assim? Ele é dedicado: Assíduo, pontual, responsável. Vai à escola dominical com prazer e não para dizer simplesmente “estou aqui”, “cheguei” ou “agora o superintendente não vai pegar no meu pé”. O verdadeiro aluno da escola dominical não pensa assim. Ele faz a lição de casa. Lê a Bíblia e sua revista; anota suas dúvidas e vem disposto a colaborar seriamente na sala de aula.

    É lamentável quando o aluno vai à escola dominical sem ter estudado durante a semana; sem sua Bíblia e/ou sem revista. E olha que eu não estou falando dos pequeninos, e sim, de gente grande mesmo! Pode parecer grosseiro de minha parte, mas muitas vezes eu me ponho a pensar: “O que alguém que não leva Bíblia, revista (ou algo semelhante), e que não estuda em casa vai fazer na escola dominical?”. Aprender? Duvido! Não se pode aprender quando o básico é menosprezado.

    De uma coisa precisamos estar cientes: 50% ou mais do bom desempenho do professor numa sala de aula depende de seus alunos. É o que eu costumo dizer aos meus alunos, sem querer jogar sobre eles a responsabilidade que cabe a mim.

    Quando o aluno não se prepara em casa, conforme já mencionamos acima, ele perde a oportunidade de contribuir com algo mais. Contribuindo ganha a classe e o professor também. Muitos dos alunos que ficam calados durante a exposição do professor cometem o erro (para não dizer “pecado”) da negligência semanal. É preciso que você aluno reverta esse quadro se porventura está sendo negligente; pois quantas vezes a culpa de uma aula má dada recai sobre o professor quando na realidade o culpado é outro. É claro que o professor tem suas responsabilidades, como veremos adiante, mas nenhum professor, a menos que esteja doido, teria coragem de se colocar diante de uma classe sem que estivesse adequadamente preparado.

    Seja professor, ou seja aluno, ambos devem fazer tudo para a glória de Deus.


    A ESCOLA DOMINICAL - E A RESPONSABILIDADE DO PROFESSOR

    O bom professor é aquele que almeja a excelência do ensino e se empenha em alcançá-la. Tem que ser como o apóstolo Paulo exortou: “…o que ensina, esmere-se no fazê-lo” (Rm 12.7). Paulo recomenda àquele que ensina a dedicação total desse ministério. Dedicação que resultará num progresso constante do professor, quer seja em relação à habilidade no ensino e crescimento espiritual de seus alunos; quer seja em relação a sua própria vida cristã.

    O professor da escola dominical deve ser o primeiro a viver o que ensina. A classe nunca deve ser subestimada (muito menos a dos pequeninos). Ela saberá se o professor está sendo sincero no que diz. Como também saberá se o professor se preparou adequadamente para a aula. Fazer pesquisas de última hora e preparar a aula às pressas nunca dá certo. Quando o professor não se esforça para fazer o melhor, ele não apenas desrespeita seus alunos como peca contra Deus.

    Além de viver o que ensina, o bom professor conhece seus alunos. Ele nunca deve acreditar que basta, por exemplo, pegar a revista e ensinar o que está ali, por melhor que seja o seu trabalho de pesquisa. O professor da escola dominical deve conhecer a sua classe, cada um de seus alunos. É importante que o professor conheça seus alunos, até mesmo para uma transmissão mais natural e eficaz de sua aula.

    Quanto ao preparo e a exposição da aula propriamente dito, os editores dos Estudos Bíblicos Didaquê apresentam sugestões preciosas que ajudarão em muito os professores da escola dominical. Com ligeiras adaptações passo a transcrevê-las:

    · Utilizar sempre a Bíblia como referencial absoluto.

    · Elaborar pesquisas e anotações, buscando noutras fontes subsídios para a complementação das lições.

    · Planejar a ministração das aulas, relacionando-as entre si para que haja coerência e se evite a antecipação da matéria.

    · Evitar o distanciamento do assunto proposto na lição.

    · Dinamizar a aula sem monopolizar a palavra oferecendo respostas prontas.

    · Relacionar as mensagens ao cotidiano dos alunos, desafiando-os a praticar as verdades aprendidas.

    · No final da aula, despertar os alunos quanto ao próximo assunto a ser estudado, mostrando-lhes a possibilidade de aprenderem coisas novas e incentivando-os a estudar durante a semana.

    · Depender sempre da iluminação do Espírito Santo, orando, estudando e colocando-se diante de Deus como instrumento para a instrução de outros.

    · Verificar a transformação na vida dos alunos, a fim de avaliar o êxito de seu trabalho.

    Duas coisas, pelo menos, têm levado muita gente a perder o interesse pela escola dominical hoje em dia, ou seja, a falta de criatividade do professor e dinâmica das aulas. Professor: Faça de sua aula algo interessante; seja criativo, gaste tempo nisso. Criatividade e dinamismo são, em boa parte, o segredo do sucesso do professor eficaz.

    É necessário que o professor da escola dominical veja seu trabalho como o ministério que Deus lhe deu e que, por isso mesmo, precisa ser realizado da melhor maneira possível. “… o que ensina, esmere-se no fazê-lo” (Rm 12.7).


    A ESCOLA DOMINICAL - E A RESPONSABILIDADE DOS PAIS

    A responsabilidade dos pais crentes com a escola dominical é dupla. Em primeiro lugar, os pais precisam ser assíduos e freqüentes na escola dominical. Os pais que vão somente ao culto vespertino, achando que faltar na escola dominical não tem tanto problema, certamente deixarão de progredir como deveriam na vida cristã. A presença dos pais na escola dominical é imprescindível, pois, afinal de contas, nós pais somos (bem ou mal) modelos para os nossos filhos.

    Em segundo lugar, os pais precisam levar seus filhos à escola dominical. Gostaria de dar a esse segundo ponto uma atenção especial, visto que está diretamente relacionado ao anterior. Portanto, vamos entender a coisa da seguinte maneira: por que os pais precisam estar na escola dominical? De um lado, porque todos precisam aprender mais e mais das verdades do Senhor; por outro lado, por causa dos filhos. Perdoe-me a batida na mesma tecla mas isso é importante. Os filhos desejam e precisam ver nos pais a seriedade no trato com a escola dominical. E isso, por si só, deve ser motivo de reflexão para os pais , pois os pais precisam, pela vida e pela palavra, mostrar aos filhos que a escola dominical é um importante veículo de crescimento espiritual.

    Geralmente as crianças não apreciam levantar cedo para ir à escola dominical. Boa parte delas já faz isso durante a semana. Porém, os pais devem passar para os filhos que a escola de domingo também é especial por uma série de razões. Erra o pai ou a mãe que acha que não deve levar sua criança à escola dominical, apenas porque ela está cansada por estudar durante a semana, ou porque brincou demais no sábado ou foi dormir tarde por causa daquela festa na igreja. Esse é um tipo de compaixão que não procede. É nessa hora que os pais, amigavelmente, devem mostrar aos filhos que a escola dominical é especial para toda a família.

    Lembro-me de um fato ocorrido em uma igreja da qual fui pastor. Quando perguntei a uma irmã porque não trouxe o filho, que na época devia ter cinco anos de idade, ela me respondeu: “Ele não quis vir”. Eu não sei como está ou por onde anda aquele que agora é um rapaz. Receio que ele tenha seguido o caminho de seus irmãos mais velhos que abandonaram a igreja porque a mãe comodamente aceitava o fato de que eles não quiseram vir.

    Papai e mamãe, levem seus filhos à escola dominical, tenham eles vontade ou não. Cumpram as suas responsabilidades como um dia prometeram a Deus quando levaram seus filhos para serem batizados ou apresentados. Pois, como no caso daquela mãe, amanhã poderá ser tarde de mais para chorar o que podia ser evitado ontem.


    A ESCOLA DOMINICAL - E A RESPONSABILIDADE DO SUPERINTENDENTE

    O superintendente da escola bíblica dominical é muito mais que uma simples pessoa que faz a abertura e encerramento da escola dominical e promove a comemoração de algumas datas importantes e eventos especiais. O superintendente ou diretor(a) da EBD é o irmão ou irmã em Cristo designado(a) pela igreja para administrar a escola dominical com competência e seriedade, visando a edificação e a maturidade do corpo de Cristo.

    Antes de tudo, o superintendente deve ser alguém verdadeiramente compromissado com Deus e a igreja. Deve ser exemplo dos fiéis, não neófito, mas pessoa qualificada para comandar o corpo de Cristo. Deve ser assíduo e pontual no cumprimento de seus deveres, irrepreensível na moral, são na fé, prudente no agir, discreto no falar e exemplo de santidade de vida. Qualidades que devem acompanhar, no mínimo, todo crente, e principalmente aquele que recebeu a graça da liderança; a saber: pastor, presbítero, diácono, professor, etc.

    Além disso, o superintendente deve ser uma pessoa preparada academicamente. Destaco a palavra “academicamente” de propósito. O que isso quer dizer? Quer dizer que o superintendente não precisa necessariamente ser um expert em educação cristã, mas precisa ter noção do que ela significa e representa. Afinal de contas, é com professores que o superintendente está lidando e é a qualidade do bom ensino que ele estará supervisionando. Pensando nisso, um experiente diretor de escola dominical escreveu aos superintendentes: “Os seus professores ensinam com qualidade? Ou estão se repetindo diante da classe? Preparam devidamente a lição, ou já se acostumaram aos improvisos?”. E continua: “Que os seu professores não se contentem com o preparo já conseguido. Incentive-os a ler, a estudar, a pesquisar, a descobrir novas metodologias, a se tornarem especialistas não apenas no currículo e na aula a ser ministrada, como também na pedagogia e na didática”.

    Como eu disse, o superintendente não precisa ser um especialista, mas é necessário que tenha algum conhecimento pedagógico. Se tiver experiência como professor, melhor ainda.

    Some-se a isto a visão do superintendente. Se o superintendente pensar administrativa e pedagogicamente, o que é ideal, ele não apenas saberá conduzir a igreja bem, no sentido de unidade de propósitos, mas também zelará pelo aperfeiçoamento de seus professores. Promoverá encontros, congressos e uma série de eventos que ajudarão na formação e reciclagem dos professores.

    O superintendente é o carro-chefe da escola dominical que, em comum acordo com o pastor, melhorará toda a escola dominical quando melhorar seus professores. Quando se investe na liderança da escola dominical todo mundo sai ganhando.

    Finalmente, mas não menos importante, o superintendente precisa ser dinâmico a fim de dinamizar sua escola dominical. Para isso precisa se atualizar e se inteirar do trabalho de outros superintendentes. Deve ser uma pessoa inovadora, com idéias saudáveis que revigoram a escola dominical. Eu acredito na escola dominical porque, como dissemos no início deste artigo, é uma bênção de Deus e por isso deu certo. Entretanto, a escola dominical precisa passar por um processo constante de revitalização. Meu irmão superintendente: torne a sua escola dominical dinâmica, criativa, bíblica e funcional. Algo que dá gosto de se vê e participar. Promova, juntamente com seu pastor e professores, o vigor e a saúde da escola dominical através da motivação de seus alunos. Evite a rotina, a monotonia e aquela mesmice insuportável. As aulas da escola dominical devem ser prazerosas. Da criança ao adulto que levantam cedo para ir à igreja, a escola dominical deve ser algo que valha a pena por causa do conteúdo e didática do ensino e (por que não?) por causa do agradável local de estudo. Olhe com carinho para tudo isso e Deus, com certeza, o recompensará.


    A ESCOLA DOMINICAL - E A RESPONSABILIDADE DO PASTOR

    Como ministro do evangelho, sei que não são poucas e nem pequenas as responsabilidades do pastor. Comecemos com algumas de suas atribuições. Compete ao pastor: orar com o rebanho e por este; apascentá-lo na doutrina cristã; exercer as suas funções com zelo; orientar e superintender as atividades da igreja, a fim de tornar eficiente a vida espiritual do povo de Deus; prestar assistência pastoral; instruir os neófitos, dedicar atenção à infância e à mocidade, bem como aos necessitados, aflitos, enfermos e desviados; governar.

    Escrevendo aos efésios, diz o grande pastor e apóstolo Paulo: “E ele mesmo (Jesus) concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro, e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro” (Ef 4.11-15).

    Pelo que podemos perceber das atribuições e vocação do pastor, o ensino (no mais amplo sentido do termo) é a característica prioritária do ministério pastoral. O zelo e a responsabilidade doutrinária do pastor o tornam necessariamente ligado à escola dominical. Ele é o superintendente ex-officio da escola dominical. Por isso mesmo, ao pastor nunca jamais deve faltar a informação necessária acerca do que está sendo ensinado na escola dominical. Para isso, o superintendente deve ser seu maior aliado. Um verdadeiro braço direito na condução da igreja. O superintendente que não estiver disposto a andar com o seu pastor não conseguirá promover a paz e a unidade no corpo de Cristo. Enfim, o pastor precisa saber o que os professores ensinam ao seu rebanho, quem ensina e como se ensina. Esta informação ele adquirirá primeiramente com o superintendente e através das constantes reuniões com o conselho de ensino.

    O pastor deve ser um verdadeiro conselheiro no meio de seus auxiliadores. Diálogo é fundamental. É imprescindível que o pastor e a liderança da escola dominical falem uma só língua e se ajudem mutuamente, conforme recomenda Paulo em 1 Coríntios 1.10: “Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma cousa, e que não haja entre vós divisões; antes sejais inteiramente unidos, na mesma disposição mental e no parecer”. A escola dominical agradece!

    ]Ademais, pela experiência e formação pastoral que tem, o pastor precisa estar atento às carências de seus professores e superintendente. Ele deve zelar pelo aprimoramento de sua escola dominical investindo pesado em sua liderança. Precisa indicar e sugerir bons livros, mostrando a importância e valor da leitura. Também, é necessário que o pastor incentive a sua liderança a participar de e a promover eventos educacionais. Acredite: O pastor é a chave que abre a porta do sucesso da escola dominical. Se você, pastor, tiver visão pedagógica, além de administrativa é claro, ninguém segurará sua escola dominical. O Espírito Santo gosta de pessoas assim e quer usar pessoas assim.

    Além disso, é necessário que o pastor tenha propósitos permanentes e bem definidos para a escola dominical. Quais devem ser os objetivos do pastor para a escola bíblica dominical? São basicamente estes:
    1) promover a edificação da igreja na Palavra para o serviço,
    2) ganhar vidas para Cristo e discipulá-las e
    3) formar líderes capacitadores.

    Que Deus nos ajude.


    Rev. Josivaldo de França Pereira – Pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil (I.P.B.) em Santo André – SP. Bacharel em teologia pelo Seminário Presbiteriano Rev. José Manoel da Conceição (J.M.C. – SP), Licenciado em filosofia pela F.A.I. (Faculdades Associadas Ipiranga – SP) e mestrando em missiologia pelo Seminário Teológico Sul Americano (S.T.S.A.) em Londrina – PR.
    E-Mail: pereira@netabc.com.br
    "Quero trazer à memória o que me pode dar esperança". Lamentações 3:21

  3. #3
    Administrator Avatar de SandraMac
    Data de Ingresso
    Oct 2007
    Localização
    Rio de Janeiro - RJ
    Posts
    5.141
    Thumbs Up/Down
    Received: 527/43
    Given: 615/0

    Planejamento do Espaço Físico para a EBD

    Planejamento do Espaço Físico para a EBD
    Ivanildes Gomes da Silva Tolentino

    "Qualquer empreendimento necessita de um planejamento para que obtenha sucesso.
    É o que nos adverte o Senhor Jesus em Lc14.28-32. Não se pode começar uma construção fazendo os alicerces sem saber quantos andares o mesmo terá, nem se teremos recursos suficientes para terminá-lo.
    Tão pouco se pode acrescentar andares a uma edificação, cujos alicerces não foram preparados para suportar tamanha carga. Este edifício com certeza não permanecerá de pé. Foi assim desde o princípio. Até o nascimento de Jesus foi planejado."
    ...... continua.

    Leia o texto na íntegra no anexo abaixo!
    Arquivos Anexos Arquivos Anexos
    "Quero trazer à memória o que me pode dar esperança". Lamentações 3:21

  4. #4
    Administrator Avatar de SandraMac
    Data de Ingresso
    Oct 2007
    Localização
    Rio de Janeiro - RJ
    Posts
    5.141
    Thumbs Up/Down
    Received: 527/43
    Given: 615/0

    Re: Como implantar a EBD

    5657.jpg
    A Escola Dominical
    Antonio Gilberto

    Como nasceu a Escola Dominical?
    Quais seus objetivos?
    Como a Igreja deve organizá-la?
    Essas são perguntas que o Pastor Antonio Gilberto responde neste trabalho, que inclui também noções de pedagogia e de psicologia educacional. Sem dúvida, uma ferramenta para quem pretende ensinar a Palavra de Deus.

    Compre na CPAD => http://www.cpad.com.br/a-escola-dominical-/p
    "Quero trazer à memória o que me pode dar esperança". Lamentações 3:21

  5. #5
    Administrator Avatar de SandraMac
    Data de Ingresso
    Oct 2007
    Localização
    Rio de Janeiro - RJ
    Posts
    5.141
    Thumbs Up/Down
    Received: 527/43
    Given: 615/0

    Re: Como implantar a EBD

    A Responsabilidade dos Professores da Escola Dominical

    Altair Germano

    Pastor auxiliar da Assembleia de Deus em Abreu e Lima-PE, Teólogo, Pedagogo, Vice-Presidente do Conselho de Educação e Cultura da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil, 2º Vice-Presidente do Diretório Estadual em Pernambuco da Sociedade Bíblica do Brasil, conferencista e escritor.

    A responsabilidade no processo seletivo de professores para a Escola Dominical, geralmente recai sobre o superintendente/dirigente/gestor e o pastor da congregação, enquanto que a de dirigente/superintendente/gestor geralmente é de competência dos pastores de congregações ou presidentes de igrejas. Alguns critérios precisam ser observados neste momento, para que problemas dos mais diversos não surjam depois.

    Em primeiro lugar, é essencial que o candidato à direção/docência na Escola Dominical seja alguém vocacionado por Deus. Títulos acadêmicos e cursos podem ajudar, mas, para a docência cristã, sozinhos não produzirão os frutos desejáveis. Quem foi vocacionado por Deus sabe que foi, e manifesta sinais de sua vocação, tais como o amor pelo ensino, dedicação no estudo da Bíblia, prazer de estar em sala de aula e habilidades próprias para a função. O candidato à direção/ensino na Escola Dominical precisa passar por um tempo de observação, onde a percepção de sua vocação se consolidará ou não. É preciso ter experiência prática no chão da escola (sala de aula), para somente depois ser efetivado na função.

    Outra questão fundamental no caso de docentes é direcionar o candidato para uma faixa etária de alunos, na qual ele se identifique. Nem todos os professores se acham habilitados ou inclinados para ensinar crianças. Há também aqueles que evitam as salas com adolescentes e jovens. Existem também professores que não se enquadram no perfil da docência para a terceira idade. Uma boa conversa com o candidato à docência, seguida de um breve estágio se faz necessário.

    Durante muitos anos, o departamento infantil da Escola Dominical sofreu com a falta de critérios na seleção de professores. Geralmente se achava que “qualquer um” estaria apto para ensinar crianças. Nos novos tempos, tal postura é inadmissível. As descobertas científicas no campo psicopedagógico, as facilidades de acesso a cursos especializados, os recursos literários disponíveis, tudo isso contribui para que professores devidamente qualificados tecnicamente, assumam o trabalho com as crianças e com as demais faixas etárias.

    Lembro-me que certa vez, ao passar em frente a uma sala de aula infantil, as crianças estavam todas de joelhos orando. Num primeiro momento achei louvável a atitude do professor em proporcionar um momento de oração. Só depois da aula, quando fui parabenizar o referido “mestre”, foi que o mesmo me falou que a oração era uma ação punitiva e disciplinar, visto que os alunos estavam dando muito trabalho naquela manhã. Por aí se tira o despreparo do professor. No mínimo, alguns alunos passarão a associar a oração com castigo. Dá para imaginar as conseqüências negativas deste ato? Acontece que estamos citando apenas um dos inúmeros casos que envolvem professores não vocacionados ou despreparados na Escola Dominical.

    Atenção e critérios rígidos no processo seletivo de dirigentes/docentes para a Escola Dominical, não é mera “inovação desnecessária”, é atitude prudente, desejável e esperada de líderes comprometidos com a qualidade e com a excelência no processo de administração, ensino e aprendizagem nos novos tempos.

    fonte: http://www.ogalileo.com.br/cristianismo ... -dominical
    "Quero trazer à memória o que me pode dar esperança". Lamentações 3:21

  •   

Informações de Tópico

Usuários Navegando neste Tópico

Há 1 usuários navegando neste tópico. (0 registrados e 1 visitantes)

Tópicos Similares

  1. COMO IR PARA O CÉU
    Por Narah no fórum Lições Objetivas, Histórias de Fundo Moral e Evangelismo
    Respostas: 0
    Último Post: 07-07-10, 12:25 AM
  2. COMO SERIA?????!!!
    Por Rosemeire no fórum Ilustrações
    Respostas: 0
    Último Post: 01-12-08, 11:09 PM
  3. Como uma folha
    Por Raquel_Pereira no fórum Ilustrações
    Respostas: 0
    Último Post: 15-06-04, 06:37 PM
  4. Como a prata
    Por Raquel_Pereira no fórum Ilustrações
    Respostas: 0
    Último Post: 08-06-04, 03:45 PM
  5. A maneira como se diz
    Por Raquel_Pereira no fórum Ilustrações
    Respostas: 0
    Último Post: 28-05-04, 09:24 AM

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •