Fé e ostentação

Na mais ostensiva demonstração de poder de sua trajetória, o bispo e empresário Edir Macedo, dono da TV Record, receberá na próxima quinta (31) a presidente Dilma Rousseff, entre outras autoridades, para a inauguração de uma enorme e suntuosa sede da Igreja Universal do Reino de Deus em São Paulo.

Batizada como Templo de Salomão – a casa de Deus, no judaísmo; a obra tem 74 mil metros quadrados de área construída (3,2 vezes maior a Basílica de Aparecida), o equivalente a 18 andares de altura e capacidade para 10 mil pessoas. Custou R$ 680 milhões, diz a igreja.

Ocupando um quarteirão inteiro do Brás, bairro central degradado com sedes de diversas outras igrejas, o prédio é tratado como local sagrado pela Universal. Tem adornos e regras de comportamento interno inexistentes nos outros cerca de 6 mil endereços da denominação no Brasil.

No ato de inauguração, só Edir Macedo irá falar. Jornalistas ficarão do lado de fora.

Nos últimos dias, o complexo foi aberto para pastores e obreiros vindos de ônibus fretados de vários Estados. As centenas de homens e mulheres que lotavam as calçadas da região esperando a abertura dos portões chamavam a atenção. Todas elas de terninho, saia, meia e sapato azul marinho. Todos eles de camisa branca, terno e gravata com o logo da Universal.

Na rua, muitos param para contemplar o gigantismo da edificação e tirar fotos. Ambulantes já vendem camisetas e relógios de parede com imagens do prédio.

Para atrair fiéis de outras igrejas, a Universal decidiu não colocar sua inscrição na fachada. Também criou um memorial com a história do templo original de Salomão, destruído no século 586 a.C., e a própria trajetória.

Para o sociólogo Ricardo Bitun, o templo é marco da atual tendência judaizante da Universal. A valorização de símbolos como o menorá, a arca da aliança e a barba comprida do sacerdote são outras m anifestações disso.

Agora barbudo, Edir Macedo passou a liderar cultos com um manto branco e um quipá judaico na cabeça.

Folha de SP

Um comentário sobre “Fé e ostentação”

  1. É errado pensar que Deus ainda trabalha de formas nacionalistas. O povo de Deus agora compreendem indivíduos de todos os tipos e de todas as nações. Diferente de outros judaizantes, Edir Macedo até entende a suficiência e universalidade da obra de Cristo, ele é intelectualmente desonesto, a ideia é conferir um status de “Templo oficial dos evangélicos”, pois o lugar está sendo considerado sagrado, é criar uma “Basílica de Aparecida Gospel”, só que com fins arrecadatórios. Deus é o Deus de ocidentais e orientais, de judeus, árabes e palestinos.
    Evangélico não tem lugar sagrado, há mais de dois mil anos atrás Jesus disse à mulher samaritana: “Senhor, vejo que és profeta. Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, João 4:19-23.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA image
*